(Audio: “Je dors sur mes deux oreilles” – Grand Corps Malade)

Para ser ouvido acompanhado de uma escrita com uma batida descompassada, que diz mais ou menos assim:

Música, língua, corpo. Yo te quiero,  siamo noi, adesso la meglio così di me e as minhas dores nos muitos amores. E quando você acorda, je t’aime, ma vie. Non, je ne regrette rien, et je veux l’amour ou la felicità. E o dia espreguiça nas tuas sobrancelhas:

não sei se canto

te beijo

ou se danço

tra me ed il mare.

Não quero falar a língua dos anjos,

mas a minha,

na tua,

per vivere, cariño mio.

E, meu amor, dei play all num repeat sem fim. Sem ordem nenhuma, num caos musical.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *