Querendo ser vento, soprou
velas e veias
vãos e desvãos
queria ser mar sal entre as pernas areia entre os dedos
quis ser chuva nuvem e névoa
(pingos água som e fúria)
aguaceiro aguardente arrependida demente.
mas foi-se
indo
andando
ventando
querendo
ser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *