Silencia-me
com essa tua voz
que habita minha boca.
Canta-me
como quem canta um fado,
um jazz rasgado,
boas novas de um outro país.
Toca-me
de corpo a corpo,
sem partitura
sem compasso ou ré menores.
Dedilha-me
corda tensa
sonora,
mistura-me aos teus cabelos
que dançam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *